Notícias do Popa

31 Out 2010
Hotel de luxo flutuante pode mudar de forma

Diferente de navio de cruzeiro, hotel está sempre em movimento e não tem local de destino
O arquiteto italiano Gianluca Santosuosso desenvolveu um projeto de hotel de luxo inovador: o MORPHotel é um sistema flutuante e flexível que se move ao redor do mundo. Basicamente é um hotel de luxo viajante. De acordo com o projeto, o hotel é capaz de adaptar sua forma com as condições climáticas do local, graças à estrutura linear desenvolvida em torno da “coluna vertebral” da construção. A diferença entre o MORPHotel e um navio de cruzeiro é que o hotel flutua lentamente e foi projetado para estar sempre em movimento. Quando parar, no entanto, o hotel deverá ser uma extensão temporária da cidade em que estiver.
Fonte: Pequenas empresas Grandes negócios

30 Out 2010
Rio Negro atinge menor nível em mais de 100 anos

Na maior seca do Rio Negro em 108 anos, a paisagem muda ao longo de seu curso.
No último domingo, o nível do Rio Negro chegou a 13,63m, um centímetro a menos que o recorde de 1963. É o nível mais baixo em 108 anos, desde que a medição começou a ser feita no Porto de Manaus. O rio Negro é decorrente do que acontece no Solimões, sobe e desce de acordo com ele. A água do rio Solimões voltou a cair, após dias seguidos de alta.
A seca no Amazonas fez com que 38 dos 62 municípios decretassem situação de emergência, segundo informou a Defesa Civil do Estado. Mais de 62 mil famílias já foram afetadas pela estiagem e pelo baixo nível dos rios. No interior, há comunidades isoladas e barcos impedidos de atracar nos portos. Em Manaus, há leitos de igarapés secos bem no meio da capital.
Segundo o CRPM, o rio Solimões já alcançou o menor nível da história nos principais pontos de medição. O rio Amazonas também já quebrou recorde com o menor nível registrado desde 1970, quando iniciou a medição.
Fonte: Último Segundo

29 Out 2010
Veleiro-escola Gorch Fock no Brasil
Na próxima semana, o Estado da Bahia receberá pela terceira vez um navio da Marinha da Alemanha. O veleiro-escola Gorch Fock, um dos exemplares mais bonitos da frota marítima alemã, ancorará na terça-feira, 02.11, a partir das 9h, no porto de Salvador. A visita, que durará duas semanas, faz parte das atividades de formação de oficiais e de reforço das relações internacionais da Marinha da Alemanha.
Ao público será organizado um "Open Ship“. Na sexta-feira (05.11) e no sábado (06.11), a embarcação atracada no porto de Salvador estará aberta à visitação. Durante os dois dias, das 14h às 17h, os interessados poderão ver bem de perto o veleiro alemão e conhecer um pouco mais sobre o dia a dia dos jovens marinheiros em alto-mar.
O Brasil é o terceiro destino da viagem que começou em Kiel, na Alemanha, no dia 20 de agosto, e já passou pelas cidades de Bremerhaven (Alemanha) e Las Palmas (Espanha). À bordo do navio-veleiro encontram-se, além da tripulação formada por 85 pessoas, cerca de 145 oficiais em formação, três dos quais marinheiros vindos de Montenegro, do Azerbaijão e da Tailândia.
A parada brasileira significará um momento especial no percurso do Gorck Fock: em Salvador terá lugar a primeira troca de pessoal da viagem. Após quase três meses em alto-mar, a primeira turma de jovens oficiais retornará para a Alemanha, onde continuará sua formação em terra firme, dando lugar ao segundo grupo de marinheiros, que também permanecerá cerca de três meses à bordo do veleiro.
O Gorck Fock deixará o Brasil na quarta-feira (17.11), seguindo viagem em direção à Argentina. A embarcação, que passará ao todo quase um ano em alto-mar antes de voltar para a Alemanha em junho de 2011, passará ainda por portos no Uruguai, Chile, Peru, México, Colômbia, Estados Unidos, Reino Unido e Portugal.
Fonte: Centro alemão de Informação

28 Out 2010
Grã-Bretanha tenta resgatar navio-fábrica em chamas

A Guarda Costeira britânica iniciou nesta quarta-feira uma operação de resgate de um navio-fábrica em chamas que tinha 111 pessoas a bordo na costas sudoeste do país.
O "Athena", um pesqueiro de 89 metros de comprimento, está a 370 km das ilhas Scilly, no sudoeste da Inglaterra, o que complica as tarefas de resgate.
O incêndio ainda não foi controlado, segundo a Guarda Costeira. Oitenta e uma pessoas conseguiram usar os botes de emergência, mas 30 permanecem a bordo do navio.
Fonte: AFP

27 Out 2010
Exposição na Espanha mostra crueldade da pirataria após séc 16

Museu de Sevilha mostra pirata francês que arrancava e comia coração das vítimas diante da tripulação.
Uma exposição na cidade de Sevilha, Espanha, está contando a história dos piratas que aterrorizaram os mares após o início das Grandes Navegações, no século 15.
Rompendo com as versões romanceadas popularizadas por filmes como Piratas do Caribe, a história real, que emerge de depoimentos originais registrados no período, é de violência e crueldade.
Os relatos falam, por exemplo, de El Olonés, um francês conhecido em seu tempo como o mais cruel dos piratas caribenhos. Ele abria o peito de sua vítima, arrancava seu coração e o comia diante da tripulação.
São 170 peças, entre documentos e maquetes, que contam a história do ponto de vista da Espanha.
O evento, intitulado Mare clausum, Mare liberum, La piratería en la América española (Mar Fechado, Mar Livre, A pirataria na América espanhola), está sendo realizado pelo Archivo General de Indias e teve sua data de encerramento adiada devido ao grande interesse do público.

Versão Idealizada
"A imagem que chegou aos nossos dias mostra os piratas como aventureiros e até heróis", disse à BBC um dos guias da exposição. "A literatura e o cinema deram a eles uma aura romântica, mas a realidade era muito diferente".
"O título (da exposição) faz alusão às teorias que predominavam na Europa desde o descobrimento da América", explica o guia. "A Espanha apoiava a teoria do mar fechado, que lhe dava acesso exclusivo às novas riquezas, enquanto países como França e Holanda, que também queriam um quinhão do Novo Mundo, defendiam a teoria do mar aberto".

Franceses: Os primeiros
O primeiro caso de pirataria documentado ocorreu em 1522, quando o francês Jean Fleury interceptou a embarcação que levava os presentes do imperador asteca Montezuma ao conquistador espanhol Hernán Cortés.
Entretanto, o próprio Cristóvão Colombo tinha sido atacado antes, perto dos Açores, quando retornava de sua terceira viagem à América.
"Os primeiros a atuar foram os franceses. Os ingleses não apareceram até o final do século 16. Holandeses e dinamarqueses vieram depois do século 17", disseram à BBC as curadoras da exposição, Falia González e Pilar Lázaro.
"Foram três séculos de pressão constante sobre o tráfico marítimo mantido pela Espanha e de repetidos assaltos contra suas embarcações".
As Índias Ocidentais (como era chamado no período o continente Americano), eram um território imenso que a Espanha não podia povoar por completo, e os piratas estavam conscientes da debilidade e vulnerabilidade de seus portos.
A exposição detalha, por exemplo, a situação da cidade de Santa Marta, a mais antiga da Colômbia, destruída 20 vezes em um período de 50 anos.
Assim, aos poucos, as lendas de dragões e monstros que até então inundavam o oceano Atlântico deram lugar a uma fauna de personagens rudes e ambiciosos, tatuados ou amputados por espadas e canhões.
Mas havia vários tipos de piratas.

De corsários a filibusteros
A ilha Tortuga era, na verdade, as Ilhas Cayman
Os corsários eram piratas que assaltavam a serviço de um país, destacando-se, nessa categoria, ingleses e holandeses.
Para isso, recebiam uma licença especial, a Patente de Corso, que os autorizava a atuar contra os inimigos da coroa. O mais famoso deles foi Francis Drake.
"Drake era considerado um herói em seu país, chegando até a ser nomeado cavaleiro pela rainha Elizabeth Primeira", explicou o guia da exposição.
"Ele foi a segunda pessoa a dar a volta ao mundo cruzando o perigoso Estreito de Magalhães - depois de (Juan Sebastián) Elcano".
"Só conseguiu essa proeza graças ao piloto português Nuño da Silva, que conhecia a região, e a quem ele havia capturado em um ataque".
No Caribe, havia também piratas conhecidos como bucaneros. Seu nome vinha de bucán, um tipo de carne defumada que eles compravam com o produto de seus saques.
"Finalmente, havia os filibusteros (da palavra inglesa flyboat, veleiro rápido), considerados os mais malvados. Eram a soma de todos. Se dedicavam a fazer pilhagens, no mar ou em terra, e tinham sua base na ilha de Tortuga, a ilha dos piratas, hoje, Ilhas Cayman", acrescenta o guia.
Segundo o guia, os piratas da ilha de Tortuga formaram uma confraria que tinha seu próprio código de honra.
Segundo esse código, matar um membro da irmandade era um delito gravíssimo. Como punição, o assassino era amarrado ao corpo da vítima e a uma rocha antes de ser jogado no mar.

Piratas Espanhóis

Embora a América hispânica fosse a mais atacada pelos piratas, também havia piratas espanhóis que entravam em confrontos com navios ingleses e portugueses, como é o caso de Benito Soto Aboal, o mais sanguinário.
Mapa do castelo e do porto de Acapulco
Soto Aboal teria sido o último pirata do Atlântico. Em 1823, deixou um rastro de sangue no mar desde a cidade do Rio de Janeiro, de onde zarpou em um barco português.
Depois de comandar um motim, passou a abordar todos os navios que cruzavam seu caminho, entre eles, um barco americano que voltava do Canadá.
Em todos aplicava a mesma tática: matar toda a tripulação e afundar o barco.
Uma estragégia parecida com a do francês El Olonés (François l'Olonnais), o filibustero mais temido do Caribe.
Tinha fama de aventureiro e cruel, e dizia-se que ele havia acumulado muitas riquezas nas Antilhas.
Além de torturar seus prisioneiros, escolhia um para matar, arrancando o coração da vítima e comendo-o diante da tripulação.
Esse ritual cruzou o oceano e teria chegado às selvas mais profundas da América. Tão famoso se tornou o temido pirata que, segundo contam, uma tribo indígena que habitava uma região onde hoje está a Nicarágua teria reconhecido El Olonés.
"No Archivo General de Indias há um depoimento de um dos marinheiros que o acompanhavam. Segundo o relato, a tribo cortou (o pirata) em pedaços, assou-o e em seguida o comeu".
A exposição Mare clausum, Mare liberum, La piratería en la América española fica aberta até o dia 31 de outubro.
Fonte: Estadão; Gravuras: Ministério de Cultura da Espanha

26 Out 2010
Velejador americano morre após ser atingido pela retranca do barco
Um velejador americano faleceu na última semana após ser atingido pela retranca do barco em que estava com a esposa e alguns amigos, na Carolina do Norte. David Gerdeman fazia parte da Guarda Costeira local e chegou a ser socorrido por um lancheiro, que fez os primeiros socorros enquanto aguardava a chegada da ambulância, porém não resistiu e faleceu já no hospital.
Fonte: Revista Náutica/Mariana Peccicacco
[POPA]: Quando guri, vi um boi ser abatido com uma marreta em um matadouro no interior do RS. Há alguns anos vi um amigo levar um retrancaço. Ele tonteou e caiu sentado no cockpit, fazendo-me lembrar da primeira cena. Danilo.

25 Out 2010
Barco movido a energia solar, criado por estudantes da UFSC, ganha repercussão mundial

Embarcação de fibra de carbono é viável, fácil de manter, além de não poluir o meio ambiente
Motivados pela possibilidade de criar uma embarcação que não poluísse o meio ambiente, alunos da Universidade Federal de SC (UFSC) criaram um barco movido a energia solar. No primeiro ano, a turma foi campeã do Desafio Solar Brasil. No segundo, participaram de uma competição na Holanda e sagraram-se o melhor grupo novato não europeu.
A equipe Vento Sul, inspirada em uma palestra na universidade, em abril de 2009, resolveu criar o Catamarã. A intenção era mostrar que um barco elétrico é viável, não polui e não precisa de manutenção constante. As placas fotoelétricas recebem a luz, repassam a um controlador de carga, que distribui ao motor e à bateria. Quando não há sol, o motor usa a energia armazenada na bateria.
O primeiro projeto, de fibra de vidro, material considerado pesado, participou e venceu o Desafio Solar Brasil, competição que aconteceu em Paraty (RJ), em julho do mesmo ano. Com o fim do ano letivo de 2009, alguns alunos se formaram e a equipe foi reformulada. Junto com novos integrantes, vieram novas ideias e uma outra embarcação foi construída. Com custo de R$ 60 mil, financiados por empresas, veio o Guarapuvu.
Consagração no maior evento mundial do setor
— Precisávamos de um barco superior. Investimos em todas as tecnologias possíveis, trocamos o material da carcaça, que agora é de fibra de carbono, muito mais leve — conta Tássio Simioni, estudante de Engenharia Química, coordenador da equipe.
Com a criação, o grupo de 20 estudantes estava pronto para participar do Frisian Solar Challenge, a competição mundial de barcos solares, que aconteceu em julho, na Holanda. Na seleção, dividida por classes, a equipe Vento Sul ficou na 17a posição entre 26, mas ganhou destaque como embarcação mais leve e a melhor equipe novata não europeia.
— Tivemos problemas técnicos por falta de testes, o que comprometeu a classificação. Mas ganhamos elogios, por aplicar técnicas diferenciadas.
Fonte: RBS; Foto:Daniel Conzi

24 Out 2010
Governo do RS recebe propostas para linha de barcos no Guaiba

O enguiço por quatro horas da ponte Getúlio Vargas, às vésperas das eleições de 3 de outubro, esquentou a campanha pela construção de uma nova ponte sobre o rio Jacuí e colocou na ordem do dia a volta do serviço de barca ligando Porto Alegre ao outro lado do Rio Guaíba.
Houve tantas coincidências em torno do mesmo tema que pareceu armação eleitoral.
No Armazém 3B do cais do porto, dia 30 de setembro, armou-se um palco para formalizar o lançamento do edital de licitação do serviço de transporte hidroviário de passageiros entre a capital e Guaíba.
O prazo para a entrega de propostas expira no dia 30 de outubro. O governo do estado exige que o serviço seja feito em barcos catamarã (casco duplo) com capacidade para transportar 120 pessoas sentadas.
Levando em conta contatos feitos há pouco mais de um ano, quando a governadora Yeda Crusius foi levada a passear de catamarã no Guaíba, a licitação do serviço tem a proa apontada para a Ouro e Prata, empresa gaúcha que explora eficientemente o transporte rodoviário há mais de 50 anos e tem interesse no modal hidroviário, uma opção óbvia na região metropolitana gaúcha, cercada de água por quase todos os lados.
O diretor-presidente da Ouro e Prata, Hugo Fleck, disse à imprensa que está disposto a criar uma empresa exclusiva para fazer a travessia do Guaíba.
Para ganhar a concorrência por 30 anos, o operador precisa investir um mínimo de R$ 2 milhões por barco, mantendo-se duas unidades em operação e uma de reserva.
Na capital, o embarque e desembarque de passageiros serão feitos num trapiche flutuante no Armazém 3B, onde haverá um estacionamento para os veículos dos usuários do serviço.
A travessia do Guaíba por barcas (para veículos e passageiros) foi interrompida em 1960, depois da inauguração do sistema de pontes sobre os rios formadores do rio da capital.
Foi retomada temporariamente em 1980 e ensaiada novamente em 2006, quando não apareceram candidatos ao serviço ofertado em edital.
Segundo estimativa dos responsáveis, haveria pelo menos 4 mil pessoas dispostas a fazer diariamente a travessia no tempo de 25 minutos. Se 60% desse potencial optar pelas barcas, teríamos 20 viagens diárias ida e outras tantas de volta.
O número de passageiros será provavelmente maior, dado o crescimento econômico das cidades situadas do outro lado do lago.
Segundo o mesmo levantamento oficial , os ônibus entre Guaíba e Porto Alegre transportam diariamente 24 mil pessoas, com tarifa de 4 a 5 reais.
Não se sabe o movimento de outras cidades como Eldorado do Sul, mas todos esses passageiros e veículos correm riscos crescentes de congestionamentos na BR-116 e no acesso ao centro da capital, especialmente quando o tráfego se interrompe para dar passagem a algum barco sob o vão móvel da Ponte Getúlio Vargas, inaugurada no finalzinho de 1958.
Segundo a campanha pela nova ponte, o vão móvel é uma antiguidade prestes a enguiçar para sempre. Há quase dez anos cresce no eixo Porto Alegre-Eldorado do Sul uma associação de vítimas do vão móvel.
É nesta última cidade que se concentra o maior clamor contra o “descalabro”.
Na realidade, o problema cresceu com a expansão do transporte rodoviário de cargas e de passageiros.
Cinquenta anos atrás, os motoristas da reduzida frota então existente toleravam a paralisação de meia hora ou pouco mais, para a passagem de um barco, pelo menos uma vez por dia.
Agora, formam-se rapidamente filas de quilômetros cujos exaltados membros reclamam o fechamento da hidrovia acima da ponte, o que contraria os direitos da navegação.
O crescimento do transporte em geral estabeleceu um impasse no maior símbolo da modernidade de Porto Alegre, a ponte.
Fonte: Geraldo Hasse, Jornal Já; Fotos: Rogerio Rocca (catamarãs da Ouro e Prata em teste no Guaíba - arquivo do Popa)

23 Out 2010
Casal de velejadores há um ano nas mãos de piratas

Rachel e Paul, britânicos, foram capturados no Índico a 23 de Outubro de 2009. Um calvário sem fim à vista.
O casal Chandler - dois reformados britânicos, capturados ao largo do arquipélago das Seicheles por piratas da Somália - permanece há um ano exacto em cativeiro. Uma penosa experiência que promete prolongar-se enquanto se regista um impasse nas negociações para a sua libertação.
Paul e Rachel Chandler foram raptados a 23 de Outubro de 2009, perto das costas da Seicheles, no oceano Índico, enquanto dormiam a bordo do seu veleiro Lynn Rival, de 11,6 metros de comprimento.
Na véspera, tinham deixado Mahé, a principal ilha do arquipélago, em direcção à Tanzânia, aonde tencionavam ancorar cerca de 12 dias mais tarde.
O chefe de um dos grupos de piratas da Somália, Abdi Yare, fez chegar nessa altura à AFP a sua reacção de surpresa: "Isto é que é ter sorte! Ninguém pensaria que duas pessoas ousassem navegar nesta altura no Índico a bordo de um veleiro."
Na verdade, os piratas somalis haviam multiplicado nas semanas anteriores os seus ataques ao largo das Seicheles, nomeadamente contra pesqueiros franceses e espanhóis, aproveitando o fim da monção, que propicia melhores condições de navegação na zona.
O casal Chandler tem vivido um cativeiro particularmente difícil, pontuado por ocasionais pedidos de socorro e raras entrevistas em que puderam revelar que são regularmente separados um do outro pelos seus captores.
De acordo com uma fonte próxima das negociações, Paul e Rachel Chandler foram de novo reunidos e encontram-se agora perto da localidade de Amara, no centro da Somália.
"Esta situação é terrivelmente vergonhosa para a nossa nação", referiu ontem o Governo somali num comunicado, anunciando igualmente a vontade de explorar outras pistas de negociações, nomeadamente junto dos líderes de clãs e notáveis locais.
No fim de Janeiro, os dois reféns pareciam muito fatigados, tanto do ponto de vista físico como emocional, aos olhos de um jornalista da AFP que pôde aproximar--se do local onde estão detidos
"Peço-vos que nos ajudem! Estas pessoas não nos tratam bem", implorou a senhora Chandler a um médico somali autorizado pelos piratas a examinar os reféns. "Já sou idosa, tenho 56 anos, e o meu marido tem 60. Devemos ficar juntos, até porque já não nos resta muito mais tempo", implorou ela também.
Desde 2006, o casal passava a maior parte do seu tempo a percorrer mares e oceanos a bordo do veleiro, com temporadas ocasionais no Reino Unido.
Cinco dias antes de terem zarpado das Seicheles, Rachel e Paul descreviam no seu blogue as paisagens paradisíacas que iam percorrendo, aproveitando também para divulgar diversas fotos.
Numa entrevista concedida no fim de Maio, os dois reformados britânicos suplicaram ao novo Governo do Reino Unido, liderado por David Cameron, para conseguir a sua libertação.
Um porta-voz do ministério britânico dos Negócios Estrangeiros aproveitou, no entanto, para reiterar a posição intransigente de Londres em matéria de reféns, nomeadamente a firme recusa de pagar qualquer resgate a piratas.
De acordo com várias fontes relacionadas com as negociações, à medida que o tempo tem passado os piratas vão baixando o preço exigido pela destituição dos reféns à liberdade. O preço actualmente fixado é de um milhão de dólares, que Londres acha inaceitável.
Fonte: DN Globo

22 Out 2010
Pescadores resgatam norte-americano

O aventureiro de Nova York passou, de acordo com ele, aproximadamente oito semanas à deriva
Um velejador norte-americano aventureiro, que se encontrava em águas brasileiras, foi resgatado por pescadores na costa leste do Ceará. O nova-iorquino Frank Sterling viajava sozinho no veleiro de nome Calipsy, pelo Oceano Atlântico, quando, segundo ele, foi surpreendido por uma série de tempestades em alto-mar, na costa africana, que acabou por danificar o mastro da vela e a antena de rádio-comunicação.
Ele havia saído da costa dos Estados Unidos, mais precisamente de sua cidade de origem, Nova York, há cerca seis meses e pretendia chegar ao destino final, o Canal do Panamá, pelo Oceano Pacífico, no fim do ano, depois de percorrer cerca 27 mil milhas marítimas.
A viagem acabou sendo interrompida, e o aventureiro veio aportar na orla de Camocim. "A embarcação chegou por volta das 5h de segunda-feira. Estava indo para o mar quando resolvi verificar o veleiro e, para minha surpresa, encontrei-o dormindo. Ele acordou um pouco assustado e me pediu ajuda. Não sabia o que ele dizia, mas resolvi ajudá-lo", contou o pescador Geovane Muniz da Costa.
A Capitania dos Portos de Camocim já está investigando a vida e a viagem do velejador aventureiro. O Consulado Norte-americano no Brasil, bem como a Polícia Federal e a Receita Federal, também investigam a presença de Sterling no País. "Ficará difícil ele seguir sua viagem de aventura, uma vez que não tinha autorização para ancorar na costa brasileira, e a embarcação que ele viajava está também danificada", contou o capitão Marcos Lima, da Capitania de Camocim.
Durante a viagem e o período em que ficou à deriva, o norte-americano Sterling não sofreu por falta de alimentação. "Preparei-me para passar de nove a 12 meses em alto-mar, então, mesmo com a quebra do equipamento, tive condições de sobrevivência". O tempo em que ficou à deriva, de acordo com ele, foi de aproximadamente longas oito semanas.
Fonte: Diario do Nordeste; Foto: Wilson Gomes

22 Out 2010
Veleiro de bandeira americana encontrado à deriva na costa do Ceará
Um veleiro de pequeno porte foi localizado, à deriva, por pescadores, provavelmente na terça-feira (19), na costa camocinense. A embarcação, já sem mastro e bastante avariada, foi então rebocada e encontra-se ancorada em frente ao local conhecido como Pedra do Mero, na orla da cidade. Ela estaria há meses sem direção, no mar. O único tripulante encontrado se apresentou como sendo cidadão americano e alegou ter chegado até águas brasileiras depois de uma forte tempestade quando velejava próximo à costa californiana, nos EUA. O americano não portava nenhum documento da embarcação e, segundo informações obtidas pelo blog, havia um bom estoque de comida no veleiro. Apesar de não termos conseguido ainda, até o fechamento desta matéria, informações oficiais da Capitania dos Portos de Camocim, já soubemos que órgãos como o Consulado americano, a Receita Federal e a Polícia Federal já foram informados dos fatos. Informações dão conta ainda que, sem dinheiro, o americano estaria abrigado na casa de pescadores. Ele teria mantido contato com parentes na Califórnia com o objetivo de conseguir ajuda para voltar ao seu país.
Fonte: O Povo online; Foto: Tadeu Nogueira
[Popa] À deriva da Califórnia ao Ceará? Pelo Cabo Horn??? Ou teria sido pelo Cabo da Boa Esperança??? (grifo na notícia pelo Popa)

20 Out 2010


MARINHA DO BRASIL
DELEGACIA  EM PORTO ALEGRE
Rua dos Andradas n.º 386, Centro – Porto Alegre – RS – Brasil – CEP 90.020-000

AVISOS  DE MAU TEMPO

A SALVAMAR SUL esta alertando para a possibilidade  de:

AVISOS DE MAU TEMPO.

AVISO NR 755/2010
AVISO DE RESSACA
EMITIDO ÀS 1430 HMG – TER - 19/OUT/2010
ÁREA ALFA A PARTIR DE 211800. ONDAS S/SE 2.5/3.0 METROS
VÁLIDO ATÉ 211200 HMG

AVISO NR 756/2010
AVISO DE MAR GROSSO
EMITIDO ÀS 16000 HMG – TER - 19/OUT/2010
ÁREA ALFA A PARTIR DE 201800 HMG. ONDAS DE SE 3.0/4.0 METROS.
VÁLIDO ATÉ 220000 HMG.

AVISO NR 757/2010
AVISO DE RESSACA
EMITIDO ÀS 2230 HMG – TER - 19/OUT/2010
ÁREA ALFA A PARTIR DE 201800.
ONDAS S/SE 2.5/3.0 METROS.
VÁLIDO ATÉ 211200 HMG.
ESTE AVISO CANCELA E SUBSTITUI O AVISO NR 755/2010.

20 Out 2010
Vem aí o IVº Cruzeiro-Regata Porto Alegre-Tapes 2010
Na noite de ontem, terça-feira, foi realizada em Porto Alegre reunião de trabalho para o lançamento do IVº Cruzeiro-Regata Porto Alegre-Tapes 2010, evento náutico de médio curso idealizado pelo Popa.com.br que reúne velejadores e lancheiros através do Rio Guaíba e Lagoa dos Patos.
A largada ocorrerá em Porto Alegre, no dia 12 de novembro, uma sexta-feira, com destino à Praia do Sítio, em Itapuã. Na manhã do sábado haverá nova largada com destino a Tapes. Os participantes do evento serão recepcionados pela Prefeitura Municipal de Tapes na sede social do Clube Náutico Tapense, destino final do evento.
Em 2009 participaram do evento 60 embarcações. O Cruzeiro-Regata Porto Alegre-Tapes percorre a centenária "Rota do Arroz" e faz parte Calendário de Turismo de Tapes.
Além de promover a navegação de recreio, o passeio reúne navegadores experientes e iniciantes. Em breve será divulgado pelo Popa.com.br o Aviso com detalhes.
Fotos: Largada do POA-TAPES 2009, Luis Alberto Grassi e Danilo Chagas Ribeiro.
Saiba mais sobre o Cruzeiro-Regata Porto Alegre-Tapes

19 Out 2010
Largou a Velux 5 Oceans 2010/11

Largou no domingo, em La Rochelle, na França mais uma Velux 5 Oceans. Para quem não lembra, a regata de volta ao mundo em solitário, com escalas, que nasceu com o nome de BOC Challenge, virou AroundAlone (um nome perfeito!) e depois ganhou esta alcunha que ora vige.
E nas águas de França, ponto inicial e final da peleja global que vai parar também na Cidade do Cabo, Wellington, Salvador e Charleston, apenas 5 skippers e seus Eco 60 (na verdade Opens 60 fabricados antes de 2003 e com uma regra de apelo eco-marqueteiro) estavam na linha de partida.
Uma respeitável flotilha de espectadores, como é comum na sempre vela-intensiva França, incluindo alguns veteranos da regata como Isabelle Autissier, Jean Luc Van Den Heede, Thierry Dubois e Bernard Stamm, além do organizador Robin Knox-Johnston, acompanhou os 5 heróis da vez no rumo do Atlântico.
A edição 2010/11 da prova, a oitava de sua história de 28 anos, começou quente, com o polonês Zbigniew “Gutek” Gutkowski mostrando estilo agressivo no tiro de partida e montando a primeira boia na ponta apesar de ter o barco mais velho da flotilha. O americano Brad Van Liew cruzou a linha em segundo e perseguiu duramente o polaco, ultrapassando Gutek após a primeira marca.
Brad já completou a Velux 5 Oceans duas vezes, tendo vencido a classe 2 da regata em 2002. Seu barco, o Le Pingouin tem pedigree. Foi construído pela lendária Catherine Chabaud para a edição de 1998 da Vendée Globe.
O canadense Derek Hatfield e o britânico Chris Stanmore-Major completam a frota. O quinto elemento da aventura, o belga Christophe Bullens terá que fazer uma passagem de qualificação de 48 horas antes de retornar a La Rochelle para realizar os preparativos finais para a regata. Ele já estava qualificado no seu Five Oceans of Smiles que perdeu o mastro a caminho França e teve que comprar outro barco. Com sorte (e dinheiro!) ele adquiriu o Artech 60, agora renomeado também como Cinco Oceanos de Sorrisos.
A regata, infelizmente, não atrai mais os grandes nomes da vela oceânica solitária e se posicionou como uma espécie de “prova de amadores” que desejam realizar o sonho da circunavegação. De todo modo, a aventura é sempre bacana e vale a pena acompanhar os intrépidos comandantes.
Fonte: Murillo Novaes
Colaboração: Fernando Maciel

18 Out 2010
'Vi ondas de 10 metros', diz velejadora que deu a volta ao mundo aos 16

Jessica Watson participou de evento do setor náutico em São Paulo.
Australiana tornou-se a mais jovem velejadora a dobrar o temido Cabo Horn.
“Se você quer dar a volta ao mundo, vai ter que ficar menos medrosa”. A frase dita a si mesma ainda na infância pela australiana Jessica Watson reflete a atitude determinante na história da menina que virou celebridade após dar a volta ao mundo sozinha aos 16 anos velejando em seu iate cor-de rosa, o Ella’s Pink Lady.
A proeza teve início em 17 de outubro e terminou no dia 15 de maio deste ano, três dias antes dela completar 17 anos, quando foi recebida por milhares de australianos.
Jessica Watson, em evento em São Paulo. Para tirar o sonho do papel, ela precisou enfrentar seus medos de escuro, de água e tempestade, e ainda superar dificuldades “adultas”– o que, para ela, foi a parte mais difícil: conseguir patrocínio, um barco, suprimentos e, principalmente, capacidade para convencer como velejadora responsável.
“Eu sempre fui uma criança muito medrosa, tinha medo de tudo. Quando eu disse para os meus pais aos 11 anos que queria fazer isso (a viagem), acho que eles não acreditaram”, diz Jessica, que hoje viaja o mundo dando palestras sobre a sua experiência e veio ao Brasil participar do São Paulo Boat Show, que acontece até o dia 19 de outubro na capital paulista.
Dizem que meus pais são loucos por me deixarem fazer isso, mas não são: eu provei para eles que estava pronta antes de partir"Jessica Watson“Dizem que meus pais são loucos por me deixarem fazer isso, mas não são: eu provei para eles que estava pronta antes de partir”, afirma. Jessica se interessou por barcos aos oito anos de idade, quando sua mãe matriculou a família em um curso de navegação, mas não se apaixonou pela atividade. “Demorou para eu começar a gostar”.
Aos 13, inspirada pelo livro do também australiano Jesse Martin, que conquistara o título de mais jovem navegador a completar a façanha (ele tinha 18 anos), ela decidiu levar o projeto a sério. “Foram dois anos de intenso trabalho e preparo. Não foi fácil conseguir experiência, não era qualquer dono de barco que me deixava velejar”, disse. Na fase de testes no mar, ela colidiu contra um enorme cargueiro e recebeu muitas críticas sobre a viabilidade de sua aventura.
Na viagem, passou por muitas tempestades sozinha. “Cheguei a ver ondas de dez metros de altura e ventos de 70 nós”, conta. No trajeto de volta à Austrália, enfrentou uma sequência de vendavais e chuvas fortes.
Tornou-se ainda a mais jovem velejadora a dobrar o temido Cabo Horn, ponto que representa um marco de extremo perigo para navegantes de todas as categorias. “Até que peguei um tempo bom lá”, diz.
No barco, se comunicava com os pais por internet via satélite, bebia água armazenada da chuva e se alimentava basicamente de enlatados e cupcakes que gostava de fazer na cozinha. “Eu não sou boa pescadora. Só consegui pescar um peixe a viagem inteira”, brinca Jessica.
De volta à terra firme na Austrália, ela nunca mais encontrou rotina. Escreveu um livro sobre a experiência que já é best-seller na Austrália, viaja o mundo dando palestras e conquistou a independência financeira antes mesmo de aprender a dirigir. Além disso, tanto esforço prejudicou o desempenho nos estudos. Fiquei um pouco para trás, tenho muito o que recuperar agora".
Jessica sorri ao dizer que, no futuro, planeja viagem semelhante. “Claro que faria de novo. Desta vez mais rápido, e com mais destinos programados. Mas definitivamente, eu iria”.
Assista vídeo: Jessica Watson conclui a volta ao mundo
Fonte: G1; Foto: Ligia Guimarães/G1

16 Out 2010
Veleiro da Armada Portuguesa deixa Tailândia

O navio Clipper, de nome Sagres, da Marinha portuguesa, deixou o porto de Bangkok, na Tailândia, nesta quinta, depois de permanecer atracado por cinco dias.
O Sagres saiu de Lisboa, Portugal, dia 19 de janeiro para uma viagem ao redor do mundo durante 11 meses - é a primeira deste tipo de navio desde 1984. Nesta viagem, o navio passou por Brasil, Japão, Estados Unidos, China, Timor Leste, Indonésia e Tailândia.
O barco, de 90 metros de comprimento, foi construído pela Marinha alemã em 1937 e a serviu durante a Segunda Guerra Mundial. Em 1948, foi capturado pelos Estados Unidos e entregue ao Brasil, sendo rebatizado com o nome de Guanabara, antes da compra por Portugal em 1962.
Fonte: Terra; Foto: Udo Weitz/EFE

15 Out 2010
Reaproveitamento de cascos de embarcações
Pescadores de uma ilha da Inglaterra tiveram uma ideia simples, barata e criativa para reciclar antigos barcos, que não serviam mais para navegação: transformá-los em galpões.
A ideia é tão simples quanto útil. Virando as embarcações de cabeça para baixo e adicionando portas, os barcos transformam-se em galpões, podendo também ser usados como diversas formas de habitação.
A ilha chama-se Lindisfarne (ou Holy Island, Ilha Sagrada), situada na costa nordeste da Inglaterra, e ligada à terra firme de Northumberland por uma estradinha.
Hein?
Uma ilha ligada por estrada?
Então não é uma ilha...
Ocorre que a ilha é inundada diariamente pela maré. A população da ilha não chega a 200 habitantes!
Vídeo mostra helicóptero resgatando motorista preso pela maré em Lindisfarne.

13 Out 2010
IPHAN tomba provisoriamente encontro das águas dos rios Negro e Solimões

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) tombou provisoriamente na última segunda-feira, 11 de Outubro de 2010, o Encontro das Águas dos rios Negro e Solimões, no Amazonas. O edital abrindo prazo de 15 dias para que proprietários e empreendedores na área se pronunciem foi publicado ontem (11) no Diário Oficial da União. Depois desse período, o Conselho Consultivo do Iphan se pronunciará pelo tombamento definitivo.
A área a ser tombada tem 30 quilômetros quadrados. A medida foi tomada para suspender o licenciamento ambiental que permite a construção do cais flutuante Porto das Lajes, que fica na área de abrangência do encontro dos rios. A obra é questionada por ambientalistas e pela comunidade do bairro Colônia Antônio Aleixo, na zona leste de Manaus.
O encontro das águas uma atração turística da região. O fenômeno natural faz com que o Rio Negro, de águas escuras, encontre o Solimões, de águas barrentas (mais claras) e, por vários quilômetros, corram lado a lado sem se misturar.
A próxima reunião do conselho está prevista para o começo de novembro, mas o tombamento pode não estar na pauta. A decisão final, então, pode ficar para o ano que vem.
Fonte: Agência Brasil; Foto: Eduardo Sbaraini
Veja mais fotos do Encontro das Águas

12 Out 2010
Dois navios de grande porte se chocam no mar da Holanda

Um navio petroleiro e um porta containers colidiram nesta terça-feira (12) a cerca de 30 km da costa holandesa de Scheveningen, de acordo com as agências de notícias internacionais.
O acidente causa o vazamento de combustível no oceano, segundo a France Presse. Foi verificado um buraco de aproximadamente 6 metros no casco do petroleiro no nível da linha de flutuação, informou a Reuters.
O porta containers, de origem cipriota, transporta uma tripulação de cerca de 12 pessoas. Já a embarcação petroleira conta com 25 tripulantes. Ainda não há informações sobre feridos no acidente. Fonte: G1

12 Out 2010
Bruna Kajiya briga pelo seu quarto título brasileiro de kitesurf freestyle
Bruna Kajiya, campeã mundial de kitesurf free style em 2009 e tricampeã brasileira na mesma classe, disputou a primeira etapa do do Volkswagen Kite Tour no último sábado, na praia do Cumbuco, Fortaleza CE.
Depois da etapa cearense, a competição, que oferece R$ 60 mil reais de premiação, segue em Natal, de 22 a 24 de outubro. A grande final acontece, de 10 a 14 de novembro, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro (RJ).
Fonte: Terra; Fotos: Mauricio Bal

11 Out 2010
Naufrágio na Austrália pode ter sido causado por baleia

Três homens sobreviveram por quatro horas flutuando em águas agitadas ao largo da costa noroeste da Austrália após o barco onde estavam ter afundado numa colisão com o que eles acreditam ser uma baleia, disseram fontes oficiais. Os homens estavam em um barco de 46 pés (14 m) quando aconteceu o acidente na noite da última terça-feira, informou a polícia.
"Eles bateram em algo duro, sólido - suspeitamos tenha sido uma baleia", afirmou o sargento Greg Trew. "Eles abandonaram o navio e estavam na água por cerca de quatro horas", disse.
Os homens, que vestiam coletes salva-vidas, enviaram um pedido de socorro e acionaram um sinal de emergência. Uma equipe de uma plataforma de petróleo próxima veio em seu socorro e os tirou da água cerca de quatro horas depois.
"As condições eram chocantes: ventos de 35 nós e ondas de 3 a 4 m. Foi muito desagradável", afirmou Trew. Segundo o sargento, os homens estavam todos em bom estado de saúde.
Fonte: Terra

08 Out 2010
Choque de navios no Canal da Mancha ameaça causar vazamento
A colisão de dois navios nos Canal da Mancha pode provocar um grande vazamento químico, já que um deles está carregado com 6 mil toneladas de solventes, informaram nesta sexta as autoridades marítimas da França.
O YM Uranus, um navio de 120 m de comprimento com bandeira de Malta, se encontra em graves dificuldades a cerca de 100 km do litoral francês. Ele foi socorrido por navios de salvamento franceses, indicou à Efe um porta-voz da Administração naval francesa.
A tripulação evacuou o navio e, por enquanto, não se sabe se ele poderá ser rebocado até porto para ser reparado.
Os serviços de resgate estão preocupados com a possibilidade de a carga do navio vazar no mar. Por enquanto, não foram avistados restos de produtos químicos nas águas. "Por enquanto desconhecemos a natureza dos produtos que transportava. Estamos estudando o nível de poluição que podem provocar", indicou o porta-voz.
O choque ocorreu por volta das 5h30 locais (0h30 em Brasília), momento em que os serviços de vigilância marítima franceses receberam um sinal de alerta.
Fonte: Terra

08 Out 2010
Inpe recebe supercomputador climático
Por Fábio Reynol
O novo supercomputador do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), adquirido por cerca de R$ 50 milhões por meio de apoio da FAPESP e do Ministério da Ciência e Tecnologia, por meio da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), desembarcou
O supercomputador foi fabricado pela Cray, em Wisconsin, nos Estados Unidos. O Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC) é a unidade que recebeu a nova máquina. A montagem e a instalação deverão ocorrer ao longo de duas semanas.
Segundo o Inpe, logo após a montagem o supercomputador será ligado, passando por um processo de customização ao longo de mais quatro semanas, que envolverá a adaptação e instalação de softwares operacionais, monitorados pelo grupo de Operação e Suporte do CPTEC.
O processo de migração dos modelos operacionais de previsão de tempo, clima e ambiental do CPTEC, e daqueles relacionados às projeções de cenários de mudanças climáticas do Centro de Ciências do Sistema Terrestre (CCST), deverá ocorrer nos meses seguintes.
“Com esse equipamento, estaremos entre os cinco maiores centros de climatologia do mundo em capacidade de processamento”, disse Luiz Augusto Toledo Machado, coordenador geral do CPTEC, à Agência FAPESP.
O supercomputador apresenta desempenho de 244 teraflops (trilhões de operações de ponto flutuante) por segundo, executado por 1.272 nós, cada um deles com velocidade máxima de 192 gigaflops por segundo. A máquina atual do CPTEC para previsões climáticas tem 6 teraflops de capacidade.
O novo sistema terá 13 gabinetes, que serão ligados gradualmente. “Instalaremos inicialmente três gabinetes, que já fornecerão uma velocidade de processamento maior do que a capacidade atual instalada”, disse Machado.
De acordo com o Inpe, o sistema permitirá gerar previsões de tempo mais confiáveis, com maior prazo de antecedência e de melhor qualidade, ampliando o nível de detalhamento para 5 quilômetros na América do Sul e 20 quilômetros para todo o mundo.
Será possível prever ainda eventos extremos com boa confiabilidade, como chuvas intensas, secas, geadas, ondas de calor, entre outros. As previsões ambientais e de qualidade do ar também serão beneficiadas, gerando prognósticos de maior resolução, de 15 quilômetros, com até seis dias de antecedência.
A nova máquina também será fundamental para o desenvolvimento e a implementação do Modelo Brasileiro do Sistema Climático Global, que incorporará todos os elementos do Sistema Terrestre (atmosfera, oceanos, criosfera, vegetação, ciclos biogeoquímicos e outros), suas interações e como esse sistema está sendo perturbado por ações antropogênicas.
“A FAPESP organizou esta iniciativa para que o Brasil possa ser um dos poucos países com capacidade para criar e analisar modelos climáticos globais. Isso é essencial para o interesse nacional, especialmente quanto à Amazonia e Atlântico Sul", disse Brito Cruz.
Mudanças climáticas globais
Machado destaca que a supercomputação é fundamental na pesquisa climática, por permitir a simulação de diferentes cenários que envolvem um grande número de variáveis e diversos sistemas paralelos que se influenciam mutuamente. O comportamento dos eventos climáticos é reproduzido por meio do processamento de modelos que chega a demorar dias para gerar resultados.
Um dos avanços permitidos pelo alto desempenho do equipamento, de acordo com Machado, é a abertura de acesso a usuários externos ao Inpe. “Pesquisadores ligados ao Programa FAPESP de Pesquisa sobre Mudanças Climáticas Globais, por exemplo, poderão utilizar o supercomputador para rodar seus modelos”, afirmou.
O coordenador do CPTEC ressalta que não se trata apenas de ganhar mais velocidade de processamento, mas de migrar para uma nova arquitetura computacional. “A computação vetorial, utilizada pelas máquinas atuais do Inpe, vem sendo substituída em todo o mundo pela nova arquitetura de computação massiva em paralelo. Isso também exigiu a adaptação dos códigos de programação dos nossos modelos para que rodem no novo paradigma”, disse.
Para receber o novo supercomputador, o CPTEC teve de executar obras de adaptação em suas instalações. Um sistema específico de arrefecimento a água está sendo instalado com a preocupação da preservação ambiental.
O consumo de energia elétrica praticamente triplicará, passando dos atuais 260 KVA para 880 KVA, o que envolve uma nova rede elétrica com novos equipamentos, como nobreaks, de grande capacidade. “Não basta aumentar a energia, temos de fazer isso de maneira segura”, frisou Machado.
Todos esses cuidados e adaptações exigem que os técnicos do Inpe façam uma instalação gradual do sistema computacional. Além disso, será necessário adaptar os programas, tarefa que ficará a cargo dos engenheiros de software. Também está previsto treinamento dos operadores do equipamento e, posteriormente, treinamento específico para os usuários.
Machado estima que o supercomputador deva entrar em operação parcial até o fim deste ano e que ele começará a rodar modelos climáticos no início de 2011 com toda a sua capacidade.
“O novo sistema permitirá o aprimoramento de modelos climáticos desenvolvidos no Brasil de todos os tipos – regionais, nacionais, de qualidade do ar, de ondas e outros –, melhorando a qualidade dos dados e impulsionando a pesquisa nacional em clima”, disse.
Fonte: Agência FAPESP

07 Out 2010
Grupo de velejadores detecta problema no canal de emergência e encaminha solução

Estação defeituosa do Serviço Móvel Marítimo da EMBRATEL impedia a utilização do canal VHF 16
O principal canal de comunicação por rádio dos navegadores da região do Rio Guaíba e Lagoa dos Patos vinha apresentando problema desde a última semana de setembro. Era como se alguém estivesse pressionando permanentemente a tecla do microfone, mas não falasse. A "portadora", de alta potência, impedia a comunicação através do canal 16 do rádio VHF, considerado Canal de Emergência em todo o mundo. É nesta frequência que os navegadores pedem auxílio em caso de emergência.
O assunto foi encaminhado em 1º de outubro pelo Comandante Jorge Lisboa ao grupo de internet [POPACOMBR], que reúne cerca de 600 navegadores em todo o país. O grupo discutiu o assunto, propondo estratégias e sugerindo ações para solucionar o problema.
É comum perceber-se o mau uso do Canal de Emergência, como a transmissão de músicas, mas dessa vez, a interferência era bem distinta: era potente e permanente. A fiscalização da utilização de equipamentos de rádio cabe à Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL.
A EMBRATEL utiliza o canal 16 do VHF em todo o Brasil para comunicar-se com embarcações e transmitir os Avisos da Marinha. Dentre as várias hipóteses levantadas no [POPACOMBR] sobre a causa da interferência, havia a suspeita de que um equipamento da própria EMBRATEL pudesse estar causando o transtorno. O Comandante Jorge Lisboa localizou o rumo da estação inconveniente, apontando para Osório, a 20km do litoral norte do RS. Contatada oficiosamente, a EMBRATEL informou que seus equipamentos não estariam causando o problema.
Um radiogoniômetro, instrumento para identificar a localização de estações de rádio, foi utilizado, constatando-se, conforme informou o Comandante J Moeller, que o sinal seria de estação no Morro da Borússia, em Osório, onde está localizado o transmissor da EMBRATEL "Osório Rádio".
Ontem, dia 6, o Comandante Adriano Becker anunciou no [POPACOMBR] que o problema havia sido detectado na véspera por equipe da ANATEL, em uma estação da EMBRATEL localizada em Morro Reuter, e que já estava solucionado.
A estação destinava-se a atender o Serviço Móvel Marítimo aos navegantes do sistema Jacuí/Taquari. Segundo Becker, "tal estação, que atendia também como Porto Alegre Rádio, foi desativada em função do desuso, constando inclusive como desativada no cadastro da empresa". As estações da EMBRATEL são radiocomutadas, o que talvez possa explicar a dificuldade em determinar a origem da portadora.
O grupo [POPACOMBR] foi criado em Abril de 2003 com o propósito de unir os esforços dos navegadores. Ao longo de mais de 7 anos, o grupo tem trazido resultados significativos à navegação de recreio, como o levantamento das coordenadas de obstáculos à navegação no Rio Guaíba, posteriormente removidos pela Superintendência de Portos e Hidrovias do RS com a coordenação do site Popa.com.br.
O Comandante Pedro Chiesa, integrante do grupo há vários anos, expressou assim sua satisfação pelo trabalho desenvolvido: "Parabens ao grupo, que depois do 1º email, em 5 dias (praticamente 2 dias úteis) foi resolvido o assunto."
Fotos: Danilo Chagas Ribeiro (Comte Nelson Ferreira Fontoura em palestra via VHF aos participantes de evento do Popa.com.br; veleiro Victor em Itapuã RS); Diagrama antigo do SENAI ilustrando a Cooperação.

04 Out 2010
Técnicos do ICMBio de Santa Catarina pedem exoneração de cargos

O polêmico licenciamento ambiental do estaleiro de Eike Batista está provocando um furacão dentro do órgão federal Instituto Chico Mendes (ICMBio), levando ao desmantelamento de equipes de trabalho. Na semana passada, três servidores anunciaram o pedido de exoneração do cargo de chefia em Santa Catarina: Leandro Zago (chefe da Reserva do Arvoredo), Mario Pereira (chefe-substituto da Reserva do Arvoredo) e Edinéia Correia (chefe-substituta da ESEC Carijós).
A Associação de servidores do Ibama manifesta apoio a técnico do ICMBio exonerado em Santa Catarina. Eles alegam que o motivo é a discordância com a política ambiental e em solidariedade à exoneração de Apoena Calixto Figueirôa, que foi retirado da chefia da Estação Ecológica de Carijós, uma das três reservas federais onde Eike Batista pretende instalar seu empreendimento, na Grande Florianópolis.
Fonte: Porto Gente; Maquete: OSX divulgação
Saiba mais  
Planos de Eike para Florianópolis
Em tempo:
06 Out 2010
Segue comentário recebido pelo Popa.com.br a respeito da notícia acima, transcrita da fonte informada, na íntegra.
"Por uma questão de correção e seriedade, é propaganda, terrorismo "verde" dizer que o Eike Batista pretende instalar seu estaleiro numa reserva federal - é e isso que está escrito, textualmente, na notícia acima.
O local previsto para o estaleiro OSX, em Biguaçú fica relativamente próximo (aproximadamente 10 km de distância) à Estação Ecológica de Carijós, localizada na entrada de Jurerê, e à ilha do Anhatomirim, e uma das extremidades do canal de acesso ao estaleiro pega uma pontinha da área de amortecimento (acho que é este o nome) da Reserva do Arvoredo. Daí a dizer que o empreendimento vai ser instalado EM TRÊS reservas federais vai uma distância enorme."
Se é certo que a natureza precisa ser preservada, não menos certo é que a verdade também precisa.
Norberto Marcher-Mühle

03 Out 2010
Naufrágio na Lagoa dos Patos há um século

O Correio do Povo, de Porto Alegre, noticiou no final de setembro de 1910 o naufrágio da embarcação Bubi na Lagoa dos Patos, possivelmente na Enseada de Tapes.
Segundo o Comte Augusto Chagas, o Bubi pode ter sofrido apenas um encalhe pois "lá por 1934, 1935, íamos para a Praia da Alegria nele". Acrescenta ainda o Cmte Chagas que o vapor "saía do porto na mesma hora que o Santa Cruz, que era de roda, e a torcida era saber quem chegaria primeiro. O Santa Cruz, com menos calado, passava por cima do baixio e o Bubi, hélice, mais veloz, tinha que contornar.
Em 29 de setembro de 1910, o Correio do Povo retificou:
NAUFRAGIO E SALVAMENTO - O rebocador Eduardo, que seguira para os Taipes, contratado, conforme noticiamos, pela quantia de 10:000$000, para salvar o vapor Bubi, que havia naufragado, na noite de quinta-feira ultima, devido a forte temporal, voltou, ontem, trazendo a reboque aquelle navio e toda a carga, que nada sofreu. Merecem elogios o commandante e a tripulação do rebocador Eduardo, pelo interesse que tomaram em salvar o vapor Bubi que se julgava perdido.
Colaboração: Augusto Chagas
Photographia: Correio do Povo

02 Out 2010
Graneleiro de Hong Kong é o milionésimo a navegar no canal do Panamá

O graneleiro Fortune Plum, registrado em Hong Kong, tornou-se o milionésimo navio a transitar pelo Canal do Panamá, segundo a publicação norueguesa Tradewinds.
O navio, de 57.000 toneladas de deadweight e entregue neste ano, passou pelo canal no último dia 4 com uma carga de aço a bordo.
A primeira navegação foi realizada em 1914 pelo SS Ancon, um navio a vapor que transportava trabalhadores e material necessários à construção.
Por ano, cerca de 14 mil navios — quase 400 por dia — usam o canal.
Fonte: Blog Mercante
Matéria sobre o Canal do Panamá e vídeo mostrando a atividade no canal por 12 horas em 1 minuto

1º Out 2010
Do Rio Grande do Sul a Noronha

O sotaque não esconde. Eles são do Rio Grande do Sul. Mas, nada de Porto Alegre ou alguma cidade pertinho da capital gaúcha. Na verdade, eles vieram de Jaguarão, município que fica a 400 km de Porto Alegre e faz fronteira com o Uruguai. É de lá que veio a tripulação do barco Rebojo I, comandada por Ernesto Pires, 71 anos. A embarcação ganhou o prêmio especial de "Barco brasileiro de local mais distante”, na 22ª Refeno. Ernesto mais dois tripulantes saíram do Rio Grande do Sul no início de junho e chegaram ao Recife no dia 20 de setembro.
Foi uma viagem longa, porém muito proveitosa, já que foi a primeira vez que eles tinham velejado pelo Nordeste do Brasil. “ Nós nunca tínhamos velejado do Rio de Janeiro para cima. Então, essa foi uma oportunidade que tivemos de conhecer o Nordeste do Brasil. A viagem foi boa, e pegamos ventos muito fortes. O que encontramos de diferente em velejar por essa parte do país foram as chuvas repentinas. No Sul, não tem isso”, afirmou Pires, acrescentando que se sente lisonjeado por ter ganhado o troféu.
Ao longo da travessia Rio Grande do Sul- Noronha, eles falaram que não enfrentaram nenhum problema, mas deram um susto em várias pessoas. É que de Salvador a Maceió, eles tinham combinado com alguns barcos maiores de fazer esse percurso juntos. Mas, como o Rebojo era menor que as outras embarcações, acabou ficando para trás. A distância foi tanta dele em relação aos outros barcos, que estes acabaram perdendo o contato com os gaúchos. “Eles tinham chegado de manhã e nós tínhamos chegado à noite, mas só quisemos entrar no porto pela manhã. Todos ficaram muito preocupados conosco”, afirmou Pires. A história que já foi motivo de angustia, agora é contada de forma bem humorada.
Ernesto e seus amigos-tripulantes, Carlos Wilson Vera e Antônio Azambuja, contaram que o que os motivou a fazer a essa viagem foi a aventura. “Mais legal ainda será a volta, porque iremos parar em várias cidades”, disse Carlos Wilson. “Para fazer uma viagem como essa é preciso ter coragem. Quem tem medo, nunca viria de barco. O segredo para não acontecer acidentes é respeitar o mar. O mar será sempre o mar. Temos que adaptar o barco para as condições dele”, falou Ernesto.
E como bom gaúcho, para aguentar tanto tempo no mar, o que não falta em seu barco é o velho chimarrão. Para se ter uma ideia, eles trouxeram mais de dez quilos de erva-mate para preparar a bebida. “Assim, dá para ir e voltar tranquilo”, pontuou Ernesto. A expectativa de chegada a Jaguarão é em dezembro, mais exatamente, às 12h, do dia 24. “Temos que estar lá para o Natal, se não a gente não ganha presente, né?”, brincaram.
Fonte: Raitza Vieira - Diario de Pernambuco

30 Set 2010


MARINHA DO BRASIL
DELEGACIA  EM PORTO ALEGRE
Rua dos Andradas n.º 386, Centro – Porto Alegre – RS – Brasil – CEP 90.020-000

AVISOS  DE MAU TEMPO


A SALVAMAR SUL esta alertando para a possibilidade  de:

AVISO NR 709/2010
AVISO DE VENTO FORTE
EMITIDO ÀS 1230 HMG - QUA – 29/SET/2010
ÁREA ALFA E SUL OCEÂNICA AO SUL DE 30S E OESTE DE 040W A PARTIR DE 300000 HMG. VENTO NE/NW PASSANDO NW/SW FORÇA 7 COM RAJADAS.
VÁLIDO ATÉ 020000 HMG.

AVISO NR 711/2010
AVISO DE MAR GROSSO
EMITIDO ÀS 1300 HMG -QUA - 29/SET/2010
ÁREA ALFA E SUL OCEÂNICA AO SUL DE 30S E OESTE DE 040W A PARTIR DE 301800 HMG. ONDAS DE NW/SW 3.0/4.0 METROS.
VÁLIDO ATÉ 020000 HMG.

AVISO NR 712/2010
AVISO DE VENTO FORTE
EMITIDO ÀS 1530 HMG - QUA – 29/SET/2010
ÁREA SUL OCEÂNICA AO SUL DE 30S E LESTE DE 030W A PARTIR DE 300000 HMG. VENTO NW/SW PASSANDO SW/SE FORÇA 7 COM RAJADAS.
VÁLIDO ATÉ 011200 HMG.
ESTE AVISO CANCELA E SUBSTITUI O AVISO NR 710/2010.

30 Set 2010
Francês constrói barco de chocolate

Georges Larnicol levou sua embarcação para a água neste sábado (25).
Barco de 3,5 metros e 1,2 toneladas tem estrutura de açúcar.
O barco de 3,3 metros é levado para a água pelo fabriocante de chocolates Georges Larnicol (direita), no porto de Concarneau, oeste da França
Segundo Larnicol, o barco de 1,2 toneladas foi inteiro feito de chocolate, exceto pela estrutura, que é de açúcar.
Fonte: France Presse; Foto: Fred Tanneau/AFP

29 Set 2010
Marinha resgata participantes da regata Recife-Fernando de Noronha

A Marinha do Brasil, representada pelo Comando do 3º Distrito Naval (Com3ºDN), está apoiando a 22ª Regata Recife-Fernando de Noronha (REFENO), que conta com a participação de mais de 100 embarcações, com o rebocador de alto-mar “TRIUNFO” e com os navios-patrulha (NPa) “GUAÍBA” e “GRAÚNA”.
Neste domingo (26), o SALVAMAR NORDESTE foi informado que os veleiros “Fram”, “Contique”, “Nativo” e “Sansara”, navegando a cerca de 150 quilômetros de Natal, necessitavam de auxílio, tendo o Com3ºDN determinado: ao rebocador de alto-mar “TRIUNFO”, que navegasse em direção às embarcações “Fram” e “Contique”, por terem a bordo tripulantes necessitando de atendimento médico; ao NPa “GUAÍBA”, que se dirigisse à área onde se encontravam os veleiros “Nativo” e “Sansara”, a fim de prestar apoio às embarcações avariadas; e ao NPa "GRAÚNA", que suspendesse de Natal e demandasse o local, para o eventual reboque dos veleiros.
No momento, o rebocador de alto-mar “TRIUNFO”, que já realizou o resgate de duas pessoas, está regressando para Natal.
Fonte: assessoria de imprensa do Com3ºDN

28 Set 2010
Veleiro Ave Rara se desprende da âncora, mas é resgatado

Embarcação pernambucana que ganhou o fita azul (primeiro a chegar) da 22ª REFENO (Regata Recife - Fernando de Noronha) foi encontrada a dez milhas náuticas da costa na madrugada do domingo para a segunda-feira
Enquanto os tripulantes do Ave Rara dormiam e/ou comemoravam o troféu fita azul, o barco se soltou e foi parar a dez milhas da costa, por volta da meia-noite. Segundo o diretor da Refeno, Marcos Medeiros, os tripulantes do Spartano (barco que estava ao lado da embarcação pernambucana) informaram a comissão de regata que o Ave Rara não estava mais onde tinha atracado.
A partir daí, os bombeiros começaram a fazer as buscas e encontraram o barco a dez milhas da costa, algo em torno de 18 km. A possível causa do espisódio foi a realização de uma ancoragem mal feita, além dos ventos e chuva forte que atingiram a ilha. Apesar do ocorrido, é comum na Refeno, vez ou outra, o barco se desprender.
Fonte: Diario de Pernambuco

27 Set 2010
Ave Rara fita azul da 22ª REFENO

Após cinco anos, o trimarã pernambucano Ave Rara volta a vencer a Regata Recife-Fernando de Noronha. Com o tempo de 22h 50 minutos, a embarcação fez o seu melhor tempo e conquistou o troféu fita azul da maior competição oceânica do País. Em segundo lugar, chegou o catamarã maranhense Spartano, que estreou este ano na competição. Até agora, apenas as duas embarcações, ambas da categoria multicasco, cruzaram a linha de chegada na Ilha.
“Passamos a madrugada em uma disputa acirrada com o Spartano, a cada hora um ultrapassando o outro”, contou Gustavo Peixoto, comandante do Ave Rara. Guga, como é conhecido, já comanda a embarcação há 11 anos e estava à frente dela na REFENO de 2004, quando o trimarã conquistou seu primeiro troféu fita azul da REFENO.
No último sábado (25), largaram 103 barcos do Marco Zero, no Recife. Algumas embarcações , entretanto, tiveram problemas e precisaram acionar a Marinha e voltar ao Recife. Foi o caso do Nativo, que teve o mastro quebrado, e do Samsara, que voltou à capital pernambucana com o leme quebrado.
Fonte: Imprensa Cabanga
Colaboração: Atila Böhm

24 Set 2010
Donos de barcos improvisam ponte flutuante em rio de Bangladesh
Aguapés impedem navegação no Rio Buriganga, na capital, Dacca.
Barqueiros uniram 34 embarcações e cobram R$ 0,03 pela travessia.
Bengalis atravessam o Rio Buriganga em 'ponte de barcos' nesta quarta-feira (22) na capital do país, Dacca. O crescimento excessivo dos aguapés no rio (também conhecidos por gigogas ou jacintos-de-água) impediu a movimentação normal dos barcos, e um grupo de barqueiros teve a ideia de atar 34 embarcações para criar a ponte flutuante. Eles cobram 2 talas (US$ 0,02 ou R$ 0,03) por pessoa pela travessia.
Fonte: G1; Foto: AP

23 Set 2010
Titanic afundou por erro de manobra, diz neta de tripulante
O Titanic colidiu com um iceberg em 1912 por causa de um erro básico de manobra e só afundou tão rapidamente porque um executivo convenceu o capitão a continuar navegando, disse uma escritora em entrevista publicada nesta quarta-feira.
Louise Patten, que é neta de Charles Lightoller, segundo-oficial do Titanic, disse que a verdade sobre o quase centenário naufrágio ficou oculta para preservar a reputação de Lightoller, que depois se tornaria um herói de guerra.
Lightoller (à direita na foto ao lado) foi o mais graduado tripulante a sobreviver ao desastre. Segundo sua neta, ele acobertou o erro em dois inquéritos, nos EUA e na Europa, porque isso poderia levar os donos do navio à falência, deixando colegas seus desempregados.
"Eles poderiam ter facilmente evitado o iceberg se não fosse pelo erro", disse Patten ao diário Daily Telegraph. "Em vez de manobrar o Titanic em segurança em volta do iceberg, pela esquerda, assim que ele foi visto à frente, o piloto, Robert Hitchins, entrou em pânico e virou para o lado errado."
Patten fez as revelações por causa da publicação de seu novo romance, "Good as Gold" ("Bom como ouro"), que trata dessa versão. Ela disse que, por causa da então recente conversão dos navios, de vela para motores a vapor, havia dois sistemas diferentes de pilotagem.
Basicamente, num dos sistemas era preciso girar o timão para um lado; no outro sistema, para o lado oposto.
Depois que o erro foi cometido, segundo Patten, "eles tiveram só quatro minutos para mudar de rumo. Quando (o primeiro-oficial William) Murdoch notou o erro de Hitchins e eles tentaram retificá-lo, era tarde demais."
O avô da escritora não estava de plantão na hora da colisão, mas esteve presente na reunião final dos oficiais antes do naufrágio completo. Ali, ele ouviu não só sobre o erro, mas também o fato de que J. Bruce Ismay, presidente da empresa White Star Line, dona do navio, convenceu o capitão a continuar navegando, o que acelerou o afundamento em várias horas.
"Se o Titanic tivesse ficado parado, teria sobrevivido pelo menos até que o barco de resgate chegasse, e ninguém teria morrido", disse Patten.
O RMS Titanic era o maior navio de passageiros do mundo, e fazia sua viagem inaugural, de Southpampton (Inglaterra) para Nova York. Em 10 de abril de 1912, quatro dias depois de zarpar, ele naufragou com mais de 1.500 passageiros a bordo.
Fonte: O Globo/Reuters

23 Set 2010
Novo reduto gastronômico dos navegantes de Porto Alegre completa um ano
O novo reduto gastronômico de velejadores e lancheiros de Porto Alegre está comemorando um ano de sucesso.
Com decoração simples e de muito bom gosto, como as mesas antigas, o Iaiá Bistrô oferece cardápio variado.
A Moqueca de peixe e camarão é dos deuses.
O ambiente é acolhedor, como os navegantes apreciam, e o atendimento é qualificado.
A localização do bistrô, na zona sul, é de fácil acesso.
À competente dona da casa, Daniela Craidy, os parabéns do Popa.com.br.

22 Set 2010
O veterano da REFENO
O pernambucano Emílio Russell, de 56 anos, participará de mais uma REFENO neste final de semana.
Esta será a 22ª edição da "Regata Internacional Recife - Fernando de Noronha", e em todas elas Emílio esteve presente.
Desta vez, Emílio participará da competição a bordo do veleiro Planeta Água, do comandante gaúcho Fernando Maciel, que já participou da REFENO 6 vezes, tendo obtido o 1º lugar por duas vezes.
Neste ano, a competição de 300 milhas náuticas organizada pelo Cabanga Iate Clube de Pernambuco tem 136 inscritos.
Na foto ao lado, da esquerda para a direita, Emílio Russell, Fernando Maciel e Maurício Castro. o idealizador da REFENO, falecido no ano passado.
Foto: Fernando Maciel

22 Set 2010
Inscrições para a Regata Troféu das Ilhas 2010 já estão abertas
De 9 a 11 de outubro, a cidade de Ubatuba será palco de um dos principais eventos oceânicos do litoral norte de SP
Já estão abertas as inscrições para a 3ª edição da Regata Troféu das Ilhas 2010, em Ubatuba. O tradicional evento que tem cenário as principais ilhas da cidade será realizado de 9 a 11 de outubro, no Ubatuba Iate Clube (UIC), no litoral norte de São Paulo.
Os interessados devem assegurar sua participação preenchendo o formulário de inscrição que esta disponível no site www.ubatubaiateclube.com.br com valores iniciais promocionais. As taxas aumentarão conforme programação já disponibilizada no Aviso de Regata, que também se encontra no site.
Estão convidadas para participar da 3ª edição da Regata Troféu das Ilhas as Classes ORCi, ORCc, BRA-RGS/SP, Bico de Proa, Cruzeiro, Clássicos e Escuna. Para as embarcações de outras localidades, a diretoria do Ubatuba Iate Clube (UIC) disponibilizará estadia livre no período de 02 a 17 de outubro.
Para o diretor de vela do Ubatuba Iate Clube, o evento deverá atrair velejadores de todas as classes. “A expectativa é reunir 30 barcos dentro das classes convidadas e um total de 140 velejadores”, declarou Alain Simon.
A Regata Troféu das Ilhas tem o apoio da Associação Comercial de Ubatuba e da Federação de Vela do Estado de São Paulo (Fevesp). A organização, sede e realização são do Ubatuba Iate Clube (UIC).
Mais Informações: Assessoria de Imprensa da Classe BRA-RGS/SP (conexaopress@gmail.com)
Colaboração: Átila Böhm

22 Set 2010
Estaleiro catarinense lança veleiro de 83 pés
O Brava Iates, de Itajaí,SC, lançou um veleiro de 83 pés. O estaleiro, que também fabrica lanchas, confiou o projeto ao argentino Javier Soto Acebal, parceiro da Brava.
Batisado de Indigo, o Soto 83, deverá ter boa performance, principalmente em "ventos moderados", conforme a Brava Iates.
O estaleiro informa que seu novo veleiro é destinado à navegação de longo curso e que a construção com tecnologia de ponta oferece um casco leve e resistente.
Foto: Divulgação
Colaboração: Paulo Angonese

20 Set 2010
Homem é resgatado momentos antes de naufrágio na Croácia
Click para assistir ao vídeoUm homem foi resgatado por um helicóptero momentos antes de seu barco afundar no rio Sava, em Zagreb, capital da Croácia, no domingo (19).
Durante horas, equipes de resgate tentaram rebocar a embarcação de Ivan Plevnik, 56 anos, para as margens do rio.
Como as tentativas fracassaram, um homem foi encarregado de resgatar Plevnik.
Logo depois do croata ser resgatado, o barco afundou nas rápidas águas.
Após o resgate dramático, Plevnik foi levado à terra firme pelo helicóptero.
Fonte: BBC Brasil
Colaboração: Augusto Chagas
Assista ao vídeo

18 Set 2010
Por tradição, chineses puxam barco pelados
Em nome de uma tradição chinesa quase esquecida no século 21, alguns homens da província de Badong, na China, puxavam embarcações contra a corrente do Rio Shennong.
A particularidade desta prática é que os chineses arrastavam as embarcações de madeira completamente despidos.
Na região, esta era uma prática popular.
Até o início do século passado, mas que acabou sendo deixada de lado em
nome da modernização e aprimoramento da tecnologia nas embarcações e nas técnicas de navegação pelo gigante país
asiático.
Fonte: RedeBomDia


17 Set 2010

Cruzeiro Costa Leste chega a Recife
Na manhã de ontem, 5ª feira, os veleiros participantes do Cruzeiro Costa Leste atracaram no Cabanga, em Recife, após navegada durante toda a noite, desde Salvador. De lá, algumas embarcações prosseguem até o arquipélago de Fernando de Noronha, participando da Regata Recife - Fernando de Noronha (REFENO).
Em torno de 5 veleiros gaúchos participam do evento.

17 Set 2010
Corpo de navegador desaparecido é encontrado na barriga de tubarão nas Bahamas
Restos mortais de um homem foram encontrados na barriga de um tubarão-tigre nesta quinta-feira (16), nas Bahamas, perto de onde foi gravado o filme Tubarão, em 1987, do diretor americano Steven Spielberg.
De acordo com o jornal britânico Daily Mail, as investigações apontam que os restos mortais pertencem a um homem que desapareceu depois de um passeio de barco em uma das ilhas de Jaws Beach.
Impressões digitais foram usadas para identificar a vítima Judson Newton, mas a polícia disse que aguarda pelos resultados do exame de DNA. Ainda não se sabe se Newton estava vivo quando o tubarão o comeu.
Ainda segundo o Daily Mail, Newton saiu a passeio com os amigos em 29 de agosto e teve problemas com o motor do barco.
A equipe de resgate que respondeu ao pedido de socorro disse que encontraram três homens em um barco em alto mar. Os homens disseram que Newton e outro colega pularam na água para tentar nadar até a costa.
Oficiais começaram uma busca pelos rapazes, mas nenhum deles foi encontrado.
Pescador encontrou tubarão com perna na boca
No dia 4 de setembro, um banqueiro da região capturou um tubarão-tigre de 3,6 m durante uma pescaria. Ele disse que uma perna saiu pela boca do tubarão enquanto colocavam o animal dentro do barco.
Quando oficiais cortaram o tubarão, eles encontraram uma perna, dois braços decepados e um tronco cortado.
Um dos amigos de Newton, Samuel Woodside, disse que ficou surpreso quando a equipe de resgate concluiu que Newton tinha morrido afogado.
Fonte: R7

16 Set 2010
No barco da história
Expedições monçoeiras, que partiam da cidade, ganham novo elemento
Uma antiga embarcação, construída com um único tronco de árvore, pode ser uma importante descoberta para a história do Estado de São Paulo. Em Porto Feliz, um batelão, como são denominadas as imensas canoas usadas pelas expedições do século 18, foi encontrado encravado em um barranco, próximo a um afluente do rio Tietê, na zona rural.
Se for autêntica, a embarcação pode ter perto de 300 anos, explica o historiador Jonas Soares de Souza, da Universidade de São Paulo. “Ele possui todas as características de uma embarcação do período das monções, mas é preciso uma análise de especialistas para confirmar a antiguidade”, destaca.
E o que justificaria uma embarcação deste gênero enterrada distante cerca de dois quilômetros do “porto”, local às margens do rio Tietê, em Porto Feliz, de onde partiam as monções?
O historiador lembra que no século 18 e 19, quando foram rareando as árvores de grande porte próximas de onde hoje existe o Parque das Monções, os desbravadores começaram a se deslocar em busca de novas espécies. “Como descreveu Sérgio Buarque de Holanda [famoso estudioso do movimento monçoeiro], são embarcações que usam a técnica indígena, cavando-se um único tronco, usando fogo”, diz.
Para o historiador, se confirmado sua antiguidade, trata-se de um marco importante no estudo do período histórico, que deve ser preservado e divulgado.
O barco encontrado em Porto Feliz pode não ter navegado pelo rio Tietê, pois é um projeto inacabado. Mesmo assim, pode entrar para a história.
As expedições monçoeiras do século 18 partiam de Porto Feliz e desciam todo o rio Tietê. Embarcados em batelões, os monçoeiros precisavam ingressar ainda nos rios Paraná, Pardo, Coxim, passando também pelo Paraguai e São Lourenço, até chegar a Cuiabá.
As embarcações, como a encontrada recentemente em Porto Feliz, possuíam 8,40 metros e pesavam duas toneladas. Podiam levar até 20 pessoas.
O historiador Affonso Taunay, diretor do Museu Paulista nos anos 20, (que hoje pertence à USP) incentivou a busca de restos de batelões. Parte de um deles está em São Paulo e outro, em Porto Feliz.

Expedição gigante
Em 1726 partiu de Porto Feliz para Cuiabá a maior expedição fluvial do Brasil: três mil pessoas embarcadas em mais de 300 rústicas canoas, também chamadas de batelão. Para superar os perigos, tempestades, cachoeiras, naufrágios e ataques indígenas, a navegação se fazia em comboios, em uma viagem de até seis meses. Monção era o termo usado para designar estas expedições fluviais que, no século 18, navegavam no rio Tietê em direção a Cuiabá, percorrendo mais de 3,5 mil quilômetros por diversos rios

Retratos e reconhecimento
Almeida Júnior pintou, em 1897, “Partida da Monção” e dois dos mais importantes historiadores eternizaram o tema: Afonso de Taunay, que reuniu e divulgou relatos e documentos de época, e Sérgio Buarque de Holanda
Vídeo com interpretação do quadro "Partida das Monções"
Fonte: Rede BomDia

15 Set 2010
Isabel Swan e Martine Grael treinam com as donas da casa em Londres
Isabel Swan e Martine Grael, a dupla brasileira melhor ranqueada na classe 470 da Vela, começou nesta terça-feira, em Weymouth, na Inglaterra, uma nova etapa de treinamento na raia olímpica em que serão disputados os Jogos de Londres, em 2012.
Em agosto, as atletas já haviam participado de um workshop do renomado treinador ucraniano Victor Kolavenko. Desta vez, a dupla fará um treinamento com a equipe inglesa, as donas da casa.
“É importante ter essa parceria. As inglesas são bem fortes, ainda mais que é na casa delas”, comentou Martine, ressaltando que 2010 é o ano de pegar experiência com a amiga. “Entrei na classe no fim do ano passado, tinha muita coisa para aprender. Ano que vem vamos procurar os resultados”, explica.
No ano que vem a dupla foca em resultados e tenta retormar o apoio da Confederação Brasileira de Vela e Motor. Apesar de melhor posicionadas (20°), quem tem viagens bancadas são Fernanda Oliveira e Ana Luíza Barbachan (36° colocadas). Isso porque no início de 2010 a Confederação colocou a vaga em disputa em um torneio pré-olímpico em Brasília, vencido por Fernanda e Ana. Fernanda foi a parceira com quem Isabel Swan levou o bronze olímpico em Pequim, em 2008.
Isabel e Martine precisam malhar para aguentar a força dos ventos contra o barco, um diferencial entre as campeãs. Esse é o foco para quando as duas retornarem ao Brasil, após os treinos técnicos na Inglaterra.
“Depois dessa viagem vai encerrar os campeonatos e vamos intensificar a parte física. O entrosamento com a Bel está indo bem. Mas temos que treinar mais, ainda falta comunicação e sincronia. Até metade do ano que vem estaremos na melhor forma”, comenta Martine.
“Nosso barco no vento fraco não faz tanta força. Mas no forte a gente gasta muiita energia. Faz falta ser mais forte. Quem é mais forte se sai melhor. Estamos tentando ganhar melhor preparo. A gente vai voltar para a academia no mês que vem no Brasil”, promete Isabel.
Fonte: Globo Extra

14 Set 2010
Ventania na costa gaúcha
O ciclone extra-tropical que se formou na costa gaúcha fez ventar bastante. O fenômeno é comum, mas normalmente forma-se mais ao sul, interferindo menos no sul do Brasil. O INMET registrou ventos com rajadas de mais de 40 nós de vento do quadrante oeste, no litoral do RS.
Na manhã de hoje, as rajadas alcançaram 30 nós em Torres, 37 em Tramandaí, 34 em Porto Alegre e 42 em Rio Grande (foto).
Foto: Guto Vieira da Fonseca;
Colaboração Francesco Colombo

14 Set 2010
America's Cup será disputada em 2013 em catamarãs
A próxima edição da America's Cup de vela, a 34ª, acontecerá em 2013 em catamarãs, anunciou nesta segunda-feira em Valencia Russell Coutts (foto), o diretor do atual campeão, BMW Racing Oracle.
O defensor do título anunciou nesta segunda-feira a criação de um novo modelo de barco, um catamarã AC72 de vela rígida, e o início da "World Series" a partir de 2011.
"Acreditamos que este novo formato e que este novo barco permitirão à America's Cup reencontrar-se com o topo do nosso esporte", declarou Russell Coutts.
A 33ª edição, disputada em fevereiro em Valencia após uma disputa judicial interminável entre BMW Oracle e Alinghi, provocou uma grande perda do interesse pela competição.
"As mudanças darão as mesmas possibilidades a todos os participantes", afirmou Coutts. O local da 34ª edição será anunciado em breve.
Fonte: AFP

14 Set 2010
Brasil planeja construir 11 navios para patrulhar reservas petrolíferas
A Marinha do Brasil planeja a construção de 11 grandes navios para patrulhar de forma "constante" as jazidas petrolíferas no oceano Atlântico, disse nesta segunda-feira o almirante Júlio Soares de Moura Neto, comandante do corpo.
Os planos da Marinha contemplam a construção em estaleiros brasileiros de cinco fragatas de 6 mil toneladas, cinco navios de patrulha oceânica e um navio de apoio logístico, de 20 mil toneladas, detalhou Moura Neto em entrevista coletiva realizada por ocasião da 24ª Conferência Naval Interamericana.
"Queremos patrulhar permanentemente nas proximidades dos campos petrolíferos (...) Isso se chama fator de dissuasão", manifestou o comandante da Marinha.
Os militares apresentarão até o fim deste ano seus planos ao Governo e no próximo ano pretendem "ajustar os detalhes" com o Executivo que vencer as eleições de outubro, que tomará posse em janeiro.
Pelos planos da Marinha, a construção dos navios patrulha começará em 2012 e, sucessivamente, serão fabricados navios de apoio logístico e fragatas, as últimas a serem fabricadas, devido ao fato de serem extremamente sofisticadas.
Os 11 navios se somarão ao pacote de seis fragatas pequenas, de 500 toneladas, uma das quais já foi entregue e o restante está em construção, que fazem parte do plano de renovação das Forças Armadas.
No marco desta estratégia, já começou a construção de quatro submarinos convencionais e se está preparando um estaleiro para a fabricação de um submarino de propulsão nuclear, que será desenvolvido em associação com a França e que previsivelmente estará operacional em 2022, segundo Moura Neto.
O comandante da Marinha explicou que além da defesa da riqueza petrolífera do país, o aumento da frota vai servir para patrulhar o restante das águas de jurisdição brasileira, cuja ampliação está sendo discutida com as Nações Unidas.
Atualmente, Brasil conta com uma área exclusiva marítima de 3,6 milhões de quilômetros quadrados, que o Governo quer ampliar para 4,5 milhões de quilômetros quadrados.
"A ONU aceitou já 750 mil quilômetros quadrados e discorda dos critérios técnicos que usamos nos 200 mil restantes. Estamos revisando os cálculos e realizando novas medições para reforçar a proposta", detalhou o militar.
Moura disse que na América Latina existe um "clima de paz relativa", mas considerou que isto não se contrapõe a que o Brasil "se prepare para ter capacidade de dissuasão".
Além disso, assegurou que a intenção do Brasil é "criar um clima de confiança" entre as marinhas do continente para que melhore a cooperação e a troca de informações entre os comandantes militares dos diferentes países.
Segundo o almirante, o objetivo da Conferência Naval Interamericana, que desde hoje e até na próxima sexta-feira congregará a altos comandantes das marinhas de 17 países da América.
Estão representados na reunião Argentina, Bolívia, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Equador, El Salvador, Estados Unidos, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, República Dominicana e Venezuela.
Fonte: EFE

13 Set 2010
Comprimidos de mais de dois mil anos encontradas em naufrágio
Medicamentos da Grécia antiga podem abrir caminho para novos estudos farmacológicos
No ano 130 a.C., um navio que havia partido da Grécia com medicamentos e objetos de vidro sírios naufragava na costa da Toscana, na Itália. Sua carga foi encontrada há cerca de 20 anos, em 1989, e os comprimidos trazidos no navio estavam intactos. Agora, pela primeira vez, os comprimidos foram examinados por arqueólogos botânicos.
Segundo as análises de DNA, cada comprimido tem uma mistura de mais de 10 extratos de plantas diferentes. Dentre os extrados identificados estão cenoura, rabanete, salsão, cebola selvagem, carvalho, repolho, alfafa e milefólio, além de hibiscus, provavelmente importado do leste asiático.
As observações também indicam a presença de girassol, que até então não havia existência comprovada antes do ano 1.400. Se confirmada a suspeita, botânicos terão de revisar a história tradicional da planta e sua difusão.
Para Alain Touwaide, do Museu Nacional de História Nacional do Instituto Smithsonian, a descoberta é uma oportunidade de documentar as medidas exatas usadas pelos médicos daquela época e, quem sabe, abrir novos caminhos no campo dos estudos farmacológicos.
Fonte: Revista Galileu; Mais, em inglês: http://www.newscientist.com/article/dn19436-2000yearold-pills-found-in-greek-shipwreck.html

12 Set 2010
Soluções vindas do fundo do mar
A Agência FAPESP divulgou notícias sobre pesquisas científicas relacionadas a fontes marinhas. Segundo as publicações, algas podem fornecer moléculas para remédios, biocombustíveis, tintas e filtros solares, conforme Projeto Temático conduzido no Instituto de Química da USP.
A riqueza de compostos químicos em organismos marinhos, como a da esponja no combate ao cancer, é destacada por Raymond Andersen, professor da Universidade da Colúmbia Britânica, no Canadá.
Pesquisadores estudam ouriços-do-mar como fonte para desenvolver medicamentos contra a trombose.
Fonte: FAPESP

11 Set 2010
Capitania dos Portos do ES resgata velejador à deriva desde quinta-feira
Velejador baiano é resgatado no litoral do Espírito Santo
Travessia em solitário de Rio Grande a Salvador
O médico baiano Jayme Vital, 55 anos, foi resgatado em alto mar, no litoral do Espírito Santo, por um navio da Marinha do Brasil na madrugada desta sexta-feira . O Navio-Varredor Araçatuba, voltava do Rio de Janeiro em direção a Bahia, quando foi acionado pelo Salvamar Brasil, para realizar o salvamento do velejador baiano, morador em Itaparica.
De acordo com informações da assessoria de comunicação do 2º Distrito Naval, Jayme Vittal é um velejador experiente e proprietário do Veleiro Punga, que se encontrava ao sul de Abrolhos, a 80 milhas náuticas (150 km) ao norte de Vitória, em situação crítica, com risco de afundamento.Ele realizava, sozinho, a travessia da cidade do Rio Grande, no Rio Grande do Sul a Salvador.
Sua aventura teve início no dia 7 de julho, passando por muitos sustos e desafios, que culminou, durante a pernada Vitória – Abrolhos, por volta das 23:00hs do dia 09, quando o veleiro perdeu o leme, peça do barco que permite dar a direção, ficando no meio do oceano sem controle de rumo.
Através do seu rádio de bordo, Jayme Vittal contactou a Marinha do Brasil
que realizou as primeiras ações para o socorro, acionando o NaVio Araçatuba que se encontrava na costa do Espírito Santo. Parentes que moram em Itaparica também deram o alerta na Capitania dos Portos do Estado da Bahia, em Salvador.
Após 12 horas de exaustivas buscas, com mar muito forte, o navio da Marinha, NV Araçatuba, encontrou o veleiro com o navegador muito abatido psicologicamente, cansado, com uma costela quebrada e sem condições de estabelecer o governabilidade do seu barco, em função da ausência do leme, falta de energia elétrica e dos rasgos no casco.
Jayme Vittal recebeu primeiros socorros ainda no navio que fez o resgate do navegador, e foi levado em segurança até o porto de Vitória (ES).
Fonte: Jornal Correio; Fotos: Marinha do Brasil/Divulgação

11 Set 2010
Mulher incendeia barco do marido por causa de Jennifer Lopez
Ela estava com ciúmes da atriz e não queria que ele visse filme com ela.
A americana Shannon Wriska, de 24 anos, foi presa na semana passada em Milton, no estado da Flórida (EUA), acusada de pôr fogo no barco e kart de seu marido depois de uma discussão que começou porque ele estava vendo um filme estrelado por Jennifer Lopez.
Segundo reportagem do jornal "Northwest Florida Daily News", Robert Wriska contou para a polícia que sua mulher colocou fogo no barco, no Kart e na banheira de hidromassagem, porque estava com ciúmes da atriz e não queria que ele visse o filme.
O marido estava na casa de seu vizinho, quando outro vizinho o informou que Shannon tinha incendiado seu barco e derramando gasolina em sua banheira de hidromassagem.
Quando chegaram à casa do casal, os agentes encontraram o barco parcialmente queimado na frente da casa.
Shannon Wriska foi levada para a cadeia do condado de Santa Rosa com uma fiança fixada em US$ 4 mil.
Fonte: G1

10 Set 2010
Ciclone extra-tropical vai fazer ventar na costa gaúcha
Conforme a previsão do tempo fornecida pelo Grib.US, a formação de um ciclone extra-tropical na costa gaúcha na próxima semana provocará ventos de até 35 nós mais rajadas, conforme mostra o gráfico para terça-feira (14), disponível nesta sexta-feira.

10 Set 2010


MARINHA DO BRASIL
DELEGACIA  EM PORTO ALEGRE
Rua dos Andradas n.º 386, Centro – Porto Alegre – RS – Brasil – CEP 90.020-000

AVISOS  DE MAU TEMPO


A SALVAMAR SUL esta alertando para a possibilidade  de:
AVISOS DE MAU TEMPO.

AVISO NR 647/2010
AVISO DE VENTO FORTE
EMITIDO ÀS 2300 HMG - QUA - 08/SET/2010
ÁREA ALFA A PARTIR DE 102100 HMG. VENTO NE/NW FORÇA 7 COM RAJADAS.
VÁLIDO ATÉ 112100 HMG.

AVISO NR 648/2010
AVISO DE MAR GROSSO
EMITIDO ÀS 2300 HMG - QUA - 08/SET/2010
ÁREA ALFA A PARTIR DE 110300 HMG. ONDAS DE NE/NW 3.0/4.0 METROS.
VÁLIDO ATÉ 111800 HMG.

AVISO NR 650/2010
AVISO DE VENTO FORTE
EMITIDO ÀS 1300 HMG - QUI - 09/SET/2010
ÁREA ALFA A LESTE DE 047W E ÁREA SUL OCEÂNICA AO SUL DE 30S E A
OESTE DE 035W A PARTIR DE 112100 HMG.
VENTO NE/NW FORÇA 7 COM RAJADAS.
VÁLIDO ATÉ 121200 HMG.

AVISO NR 651/2010
AVISO DE MAR GROSSO
EMITIDO ÀS 1330 HMG - QUI - 09/SET/2010
ÁREA ALFA A LESTE DE 050W E ÁREA SUL OCEÂNICA AO SUL DE 30S E A
OESTE DE 040W A PARTIR DE 111800 HMG.
ONDAS DE NE/NW 3.0/4.0 METROS.
VÁLIDO ATÉ 121200 HMG.

AVISO NR 653/2010
AVISO DE BAIXA VISIBILIDADE
EMITIDO ÀS 1330 HMG - QUI - 09/SET/2010
ÁREA ALFA JUNTO À COSTA AO SUL DE 30S A PARTIR DE 100600 HMG.
NEVOEIROS ESPARSOS.
VÁLIDO ATÉ 101300 HMG.
Recebido às 08:19h de 10 Set 2010

10 Set 2010
Holandês faz manobras com prancha de wakeboard no espelho d'água do Congresso
O espelho d'água do Congresso Nacional foi palco nesta quinta-feira de manobras de wakeboard, esporte em que os praticantes utilizam uma prancha puxada por um barco. O autor da façanha foi o holandês Duncan Zuur, que driblou a segurança e, em vez de uma embarcação, usou uma espécie de guincho desenvolvido especialmente para esportes na água.
As manobras foram feitas logo de manhã, às 6h30m, antes do horário de expediente do Congresso que, de qualquer forma, está esvaziado em época de campanha eleitoral.
Duncan Zuur está acostumado com manobras em lugares inusitados. Ele já passou com sua prancha pela Praça de São Marcos, em Veneza (Itália), quando ela estava inundada por uma maré cheia; e pelos canais de Amsterdã (Holanda), puxado não por um barco ou guincho, mas por um helicóptero.
Fonte: O Globo

09 Set 2010
O naufrágio do gig Tyjuca (curiosidade)
Notícia publicada no Correio do Povo, de Porto Alegre, em 06 de setembro de 1910
Ante-hontem, pela manhã, zarpou, da garage do Gremio Almirante Tamandaré, o gig Tyjuca, tripulado pelos rowers Jorge Pinto, Dilermando Lobo, Oswaldo Fortes, Marçal Vieira, José Pôjo, Reynaldo Lewman (voga) e A. Lemos Bastos (patrão), em excursão pelo arrabalde do Menino Deus. O rio Guahyba achava-se calmo e a frágil embarcação deslisava suavemente. Cerca das 10 1/2 , a tripulação do Tyjuca deliberou regressar à respectiva sede, e a embarcação vinha correndo velozmente, quando, na altura da praça da Harmonia, bateu numa forqueta de ferro que surportava o cabo submarino do telephone entre esta capital e a ilha da Pintada. O choque foi violento, e o Tyjuca ficou com uma das bordas do casco toda danificada. Em poucos minutos, a embarcação submergiu-se. Os rowers, vendo o perigo, atiraram-se à agua, nadando para a terra. Alguns gigs do Gremio Tamandare, que se achavam naquelas immediações, correram em auxilio do Tyjuca, que foi imediatamente rebocado até à respectiva garage. Os seus tripulantes nada sofreram.

Colaboração: Augusto Chagas

09 Set 2010
Obstáculo perigoso no Rio Guaíba
O que possivelmente deve ser uma árvore encalhada no Rio Guaíba, oferece risco à navegação de recreio. O obstáculo está situado em profundidade superior a 3 metros, a meia milha da bóia 107 do canal do Junco, nas coordenadas S30º 18.684' W051º 06.671' (WGS84). Ao fundo, na foto, "acima" do obstáculo, vê-se a Ilha Francisco Manoel.
Colaboração: Eduardo Secco Hofmeister Ferrugem

04 Set 2010
Cervejas "mais antigas" são retiradas de navio no Mar Báltico
Mergulhadores encontraram nesta semana garrafas de cerveja que estavam em um navio naufragado no Mar Báltico, próximo à ilha de Aaland, na Finlândia. Pesquisadores acreditam que a cerveja encontrada pode ser a mais antiga do mundo. Segundo o porta-voz da equipe, Bjorn Haggblom, a descoberta ocorreu durante uma expedição de resgate de cerca de 70 garrafas de champanhe, iniciada na última terça-feira.
O navio que carregava a cerveja e o champanhe afundou no Mar Báltico no século IX, segundo historiadores. A equipe calcula que as garrafas de bebida tenham cerca de 200 anos. "Parece que estamos prestes a recuperar o champanhe mais antigo do mundo", afirmou Rainer Juslin, secretário permanente da educação do governo de Aaland e ministro da Cultura, em um comunicado. "As garrafas, que estão intactas no fundo do mar a uma profundidade de 50 m, estão sendo trazidas para a superfície", disse o comunicado do governo, acrescentando que cada uma das garrafas tem valor estimado em dezenas de milhares de euros.
No mês passado, mergulhadores encontraram as embalagens em bom estado na embarcação. Estudiosos acreditam que o champanhe e a cerveja faziam parte de uma remessa enviada pelo rei da França, Louis XVI, para a Corte Imperial da Rússia. Ainda não está claro quantos anos as bebidas têm. "A temperatura constante e os níveis de luz proporcionaram condições ideais para o armazenamento, e a pressão da água do mar nas garrafas impediu qualquer vazamento", disse o governo.
Fonte: Terra;

03 Set 2010
Titanic não está tão mal como se pensava
Foi revelado ontem um novo vídeo do Titanic, no âmbito da expedição que pretende fazer uma reconstrução virtual em 3D do navio. A boa notícia é que o Titanic não está tão corroído como se imaginava.
As imagens de alta definição, que podem ser vistas no site da BBC News mostram a icónica proa do navio completa, com as grades, a quatro quilómetros de profundidade.
Uma equipa de cientistas usou dois robôs para tirar milhares de fotos e gravar horas de vídeo do barco que se afundou em 1912 depois de embater num iceberg no oceano Atlântico, vitimando 1523 pessoas que viajavam de Southampton (Inglaterra) para Nova Iorque (Estados Unidos). A divulgação deste material acontece quase 25 anos após o barco ter sido descoberto. Os mergulhos começaram na semana passada e vão continuar em regime intensivo durante este mês. O objectivo é captar todas as imagens e todos os detalhes, até aos recantos mais escondidos, do navio afundado mais famoso de todos os tempos. A ideia é fazer uma reconstituição virtual em 3D do destroço do antigo paquete de luxo.
A equipa de investigadores é constituída por arqueólogos, oceanógrafos e operadores de submarino e de um ROV (veículo submarino autónomo), numa expedição promovida pela sociedade RMS Titanic, que detém os direitos de exploração do destroço afundado. Os cientistas partiram da Terra Nova, a bordo do navio Jean Charcot, na segunda-feira à noite, dia 23 de Agosto, e chegaram ao local onde se encontra o navio afundado na passada quarta-feira, dia 25. A expedição pode ser seguida em www.expeditiontitanic.com.
Fonte: Diário de Notícias, Portugal

03 Set 2010
Volta ao mundo de marinheiro de 71 anos acaba em naufrágio
Barco de navegador britânico se chocou contra recife a poucas semanas de seu destino na Austrália.
A volta ao mundo de um marinheiro britânico terminou em naufrágio após seu barco atingir um recife na costa australiana. Billy Hugues havia zarpado do País de Gales há dois anos e estava a poucas semanas de chegar a seu destino, a cidade de Perth, onde vive, quando o iate começou a naufragar, nas imediações da Ilha Thursday, perto de Queensland.
O acidente aconteceu durante a noite. Hugues conseguiu emitir um pedido de socorro, desencadeando uma operação de busca na região.
O resgate, segundo relatos, foi dramático, já que o barco havia se partido em dois e naufragava rapidamente.
Hughes está agora tentando recuperar o barco, Kymika, que ele passou 12 anos reconstruindo.
"Vou precisar de um ou dois meses para superar isso", ele disse à BBC.
Um grupo de amigos do marinheiro em Conwy está organizando um evento para angariar fundos em ajuda ao galês.
"Ele tem 71 anos, três pontes de safena e velejou naquele barco (da Austrália) até aqui e depois voltou", disse Terry Hughes, amigo de Billy.
A viagem do galês começou em maio de 2006, quando ele saiu de Perth. Ele chegou a Conwy em agosto de 2007 e ficou na cidade durante pouco mais de um ano antes de retornar.
Billy Hugues iniciou a viagem de volta em junho de 2008 e estava a poucos meses de distância do seu destino final.
Falando à BBC de sua casa na Austrália, ele disse que ainda está tentando recuperar seu barco.
Fonte: Estadão; Fotos: Brian Craven

02 Set 2010
Match Race Brasil 2010
Na Madrugada de sexta pra sábado, a meia noite e meia, você curte mais um Mar Brasil. A equipe do Rio Yacth Club, liderada por Torben Grael, leva o bicampeonato no Match Race Brasil e o Troféu Roger Wrigth pra Niterói. Na Raia, Marcos Soares e Edu Penido comemoram os trinta anos da medalha de ouro nos jogos olímpicos de Moscou com o técnico Bóris Ostergreen. Campeões mundiais e olímpicos de dez clubes náuticos do Rio, São Paulo, Santa Catarina e Rio Grande do Sul travaram verdadeiras batalhas nas águas da Baía de Guanabara no Rio de Janeiro. Na ESPN
Horários alternativos: Domingo, 05/09 às 06:30h, Quarta-feira, 08/09 às 04:00h e Sexta-feira, 10/09 às 10:30h
Vídeo com a chamada para o programa Mar Brasil
Colaboração: Atila Bohm

Notícias anteriores